Imprimir esta página
Quarta, 06 Outubro 2021 11:46

Heitor Férrer denuncia demora em filas de espera para cirurgias e exames em Fortaleza

Avalie este item
(0 votos)
Deputado Heitor Férrer Deputado Heitor Férrer Foto: Edson Júnio Pio
O deputado Heitor Férrer (SD) denunciou, no primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (06/10), a demora para a realização de exames médicos e cirurgias na rede pública de saúde de Fortaleza.

O parlamentar alertou para denúncias de moradores da capital, que estão com exames e cirurgias pendentes ou com prazos longos para serem feitos. Alguns casos, no entanto, não podem aguardar muito para serem realizados. Segundo o Heitor Férrer, em caso de descolamento de retina, por exemplo, é necessária uma intervenção médica nos primeiros cinco ou sete dias. “Se não houver a intervenção do especialista, do colega oftalmologista, o paciente vai cegar. E muitos estão cegando por incúria do Estado, do município”, apontou, afirmando que muitos pacientes o buscam pedindo ajuda para realizar os serviços médicos.

Conforme o deputado, algumas pessoas acabam tentando realizar os exames em clínicas particulares, para não aguardar na fila de espera. Muitos, porém, não possuem a mínima condição financeira e acabam, de acordo com o parlamentar, sujeitos à morte por falta de um tratamento hábil. “Uma pessoa me procurou e precisa fazer a cirurgia de deslocamento de retina. Ela foi a uma instituição especializada, e R$ 4,5 mil é o valor para fazer o tratamento de descolamento de retina. Essa pessoa não vai poder fazer essa operação. O Estado não paga. Está condenada à cegueira”, disse.

Heitor Férrer lembrou que a Assembleia aprovou a liberação de R$ 100 milhões para zerar as filas de cirurgias, mas “o valor gasto não chegou a 10%”. “As cirurgias  programadas para o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), César Cals, Albert Sabin, Waldemar de Alcântara continuam lá”, observou.

O deputado lembrou do Acquario de Fortaleza, que está com a obra parada, custou R$ 137 milhões em 2009. Hoje o valor atualizado se aproxima de R$ 317 milhões. “Vamos converter em cirurgias de catarata, próstata, curar um câncer, descolamento de retina. Ainda bem que eu votei contra essa proposta criminosa. Sou contra, votei contra e fiz campanha contra. É inaceitável que tenhamos jogado cerca de R$ 317 milhões no lixo, com tanta gente precisando de uma cirurgia”, ponderou.

GS/AT

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 276 vezes Última modificação em Quarta, 06 Outubro 2021 16:12

Mais recentes de Fotografia

Itens relacionados (por tag)