Fortaleza, Terça-feira, 25 Setembro 2018

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Musicais
Segunda, 09 Julho 2018 12:12

Abluesando

O programa Abluesando, desta sexta-feira (06/07), apresenta a carreira do pioneiro na eletrificação da gaita, Little Walter. Ele nasceu em 1930, em Rapides Parish, no Estado da Lousiana, nos Estados Unidos. Little Walter aprendeu a tocar quando criança. Aos 12 anos, saiu da escola e começou a viajar. Entre as cidades visitadas, Memphis, Helena, Arkansas e St.Louis, nos Estados Unidos. Walter aperfeiçoou suas habilidades como gaitista e guitarrista, tocando com Sonny Boy Williamson II, Sunnyland Slim, Honeyboy Edwards, entre outros. Little foi a Chicago, também nos Estados Unidos, com 15 anos de idade, em 1945. Ao chegar na cidade, passou a trabalhar como guitarrista, mas chamou  atenção quando tocava gaita. Por causa do talento, o instrumentista é comparado a Charlie Parker e Jimi Hendrix.  Em 1947, começou a gravar os primeiros discos na gravadora Ora-Nelle Records. No ano seguinte, Little Walter ingressou na banda de Muddy Waters e em 1950, tocava em gravações de Muddy para a Chess Records. Em 1951 gravou, usando o recurso de amplificação da gaita, no disco Country Boy de Muddy Waters. O maior sucesso de Little é a canção "Juke". Entre 1952 e 1958, ampliou a lista de sucessos com a canção "My Babe". O gaitista morreu em 1968, aos 37 anos. A causa da morte de Little Walter foi registrada como trombose coronária. Abluesando é transmitido todas as sextas-feiras, a partir das 20h30, com produção e apresentação do jornalista Robério Lessa.

Vídeo relacionado

Sexta, 06 Julho 2018 11:27

Gonzagando

O programa Gonzagando destaca, na edição desta quinta-feira (05/07), o disco Violão no Forró vol. 1, lançado em 2017. O álbum reúne os músicos Alexandre Gismonti, Bola Sete (Djalma de Andrade), Daniel Murray, Douglas Lora, Duo Siqueira Lima, Garoto (Aníbal Augusto Sardinha) e  Gilberto Gil. Trata-se de uma compilação de vários artistas, com releitura de clássicos do forró. Nomes como Luiz Gonzaga, Sivuca, Humberto Teixeira, Dominguinhos, Manezinho Araújo e outros são homenageados no trabalho em canções como Emboscada, Noite Severina, Mulher rendeira, e Fuga para o Nordeste. Participam ainda do trabalho, os músicos Guanduo, Guinga, Heraldo do Monte, Josué Costa, Laurindo Almeida, Lenine, Marcello Gonçalves, Meira (Jayme Florence), Nonato Luiz, Paulo Bellinati, Vinícius Sarmento e Zé Paulo Becker. Produzido por Fátima Abreu e apresentado por Gerardo Anésio, Gonzagando vai ao ar às quintas-feiras, a partir das 20h. A reprise acontece aos domingos, às 6h.

Vídeo relacionado

Quinta, 05 Julho 2018 13:04

Sons dos Festivais

O programa Sons dos Festivais  destaca, nesta quarta-feira (04/07), as participações de Roberto Carlos em festivais da canção no Brasil e no exterior. Nascido em Cachoeiro de Itapemirim, sul do Espírito Santo,  no dia19 de abril de 1941, Roberto aprendeu a tocar violão e piano ainda criança. A princípio, com a mãe Laura Moreira Braga. Depois, no Conservatório Musical de Cachoeiro de Itapemirim. Incentivado pela mãe, cantou pela primeira vez em um programa infantil na rádio Cachoeiro, aos 9 anos, cantando o bolero "Amor y Más Amor". Como prêmio pelo primeiro lugar, recebeu balas. O Programa Sons dos Festivais apresenta ainda canções e interpretações de 14 Bis, Zé Ramalho, Mario Paiva e Os Transcendentais, Sérgio Sampaio, Leonel Laterza, Cynara e Cibele, Sá e Guarabyra, Paulo Rossglow e Trem do Futuro, entre outros. Produzido por Nazicélia Costa e apresentado por Haroldo Holanda, o programa vai ao ar às quartas-feiras, às 20h, com reprise aos sábados, às 16h.

Vídeo relacionado

Terça, 03 Julho 2018 12:25

Brasilidade

O programa Brasilidade, deste domingo (01/07), rende homenagens ao Conjunto Sete de Ouros, criado no Rio de Janeiro no final do ano de 1959. O conjunto vocal e instrumental é formado pelos cantores Lenita Bruno e José Delphino Filho (Zezinho), pelo contrabaixista Pedro Vidal Ramos, o compositor e pianista Lauro Osório Miranda (Louro Miranda) e o baterista Paulo Fernando de Magalhães (Paulinho Baterista). Também eram integrantes do grupo musical o saxofonista tenor, líder de orquestra e arranjador Orlando Costa (maestro Cipó), o trompetista Julinho Barbosa (Julinho do Trompete) e o instrumentista, arranjador e maestro Edmundo Maciel Palmeira (Ed Maciel). Em 1952, o Conjunto Sete de Ouros lançou, pela gravadora Odeon, o álbum musical "7 de Ouros", com as canções “Prefixo”, de Júlio Barbosa; “Menina Feia”, de Luvercy Fiorini e Oscar Castro Neves; “Penúltimo”, de Guaxinin e Duba; "Never on Sunday", de M.Hadjidakis e B. Towne; “Cocktail For Two”, de Arthur Johnson e Sam Coslow, e “Fiz o Bobão”, de Luiz Reis e Haroldo Barbosa. Todas as músicas em interpretações instrumentais. Também fazem parte do disco as faixas “Dizem Por Aí”, de Manoel da Conceição e Alberto Paz; “Chorou, Chorou”, de Luiz Antôni,; e “Você Passou”, de Nazareno de Brito e Alcyr Pires Vermelho, na interpretação de Zezinho, e “Saudade Não Tem Cor”, de Lauro Miranda e Octavio Miranda. Por volta de 1963, o grupo sofreu alterações e passou a ser basicamente instrumental, com as saídas dos vocalistas Lenita Bruno e Zezinho. Também deixaram o grupo o baterista Paulinho, substituído por Papão, e Lauro Miranda. A nova composição do conjunto passou a ser formada pelo sax-barítono Gennaldo, o pianista José Marinho e pelo clarinetista, compositor, arranjador e regente Sebastião de Barros, conhecido artisticamente como K-Ximbinho. Permaneceram no grupo Edmundo Maciel, Julinho Barbosa, maestro Cipó e Vidal. O Brasilidade é produzido por Fátima Abreu e Ronaldo César, com apresentação de Narcélio Limaverde. Vai ao ar aos domingos, às 18h, com reprise nas terça-feiras, às 23h.

Vídeo relacionado

Terça, 03 Julho 2018 12:20

Qual é o Tom do Ceará?

A carreira de Lorena Nunes, cantora cearense aclamada na cena atual, é o destaque do programa Qual é o Tom do Ceará? deste sábado (30/06). Preparando um novo álbum para o segundo semestre de 2018 e com o álbum "Ouvi Dizer Que Lá Faz Sol", lançado em 2015, a cantora tem participado de diversos projetos musicais e festivais, realizando shows em solo cearense e outros estados, assim como turnês na Europa.  O álbum de estreia da cantora foi desenvolvido por meio do Laboratório de Criação em Música do Porto Iracema das Artes. Recentemente, a cantora também foi um dos nomes selecionados para integrar outro projeto, o Porto Dragão, para aprofundar trabalhos de artistas com curadorias especiais.  Com carreira iniciada em 2011 com o grupo Comparsas da Vivenda, Lorena Nunes desenvolveu ao longo dos anos shows solo, trabalho autoral e projetos como Homenagem à Tropicália, McCartney in Jazz, Las Tropicanas. Atuando com destaque na cena musical atual, Lorena Nunes vem marcando seu nome por meio dos shows, participações e projetos. O programa Qual é o Tom do Ceará é produzido por Ronaldo César e apresentado por Ian Gomes e conta com reprise às quartas-feiras, 23h.

Vídeo relacionado

Sexta, 29 Junho 2018 11:32

Gonzagando

O programa Gonzagando, desta quinta-feira (28/06), destaca o disco São João na Roça, de Luiz Gonzaga, lançado há 60 anos. O álbum não tem canções inéditas. Na verdade, é uma coletânea reunindo músicas lançadas em discos de 78RPM. No repertório, músicas de Zé Dantas com Luiz Gonzaga e Guio de Morais. Em 1962, houve a reedição do LP homônimo de dez polegadas, acrescido de outras quatro músicas: "Fogueira de São João", de Luiz Gonzaga e Carmelina Albuquerque; "Festa No Céu", de Edgar Nunes e Zeca do Pandeiro; "São João no Arraiá", de Zé Dantas, e "O Passo da Rancheira", de Luiz Gonzaga e Zé Dantas. Produzido por Fátima Abreu e apresentado por Gerardo Anésio, Gonzagando vai ao ar às quintas-feiras, a partir das 20h. A reprise acontece aos domingos, às 6h.

Vídeo relacionado

Quinta, 28 Junho 2018 13:20

Sons dos Festivais

O programa Sons dos Festivais, desta quarta-feira (27/06) destaca o trabalho do cantor e compositor Milton Nascimento, um dos maiores artistas da história da Música Popular Brasileira. Vindo de uma família humilde no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, Milton do Nascimento e em seguida adotado pela professora de música Lília Silva Campos e seu marido Josino Campos, dono de uma estação de rádio, ele mudou-se com a nova família para Três Pontas, em Minas Gerais. E por lá traçaria seu caminho mais glorioso na carreira musical e faria formação no famoso Clube da Esquina. Autor de canções consagradas, como "Cravo e Canela", "Alunar", "Para Lennon e McCartney", "Trem Azul", "Nada Será Como Antes", "Estrelas", "São Vicente" e "Cais" e "Canção do Sal" (gravada por Elis Regina), o artista tornou-se mesmo conhecido nacionalmente quando a canção "Travessia". Composta por ele e Fernando Brant, com arranjo de Wagner Tiso, a música ocupou a segunda posição no II Festival Internacional da Canção, em 1967. No mesmo festival, organizado pela TV Globo e com finalíssima realizada dia 29 de outubro, no Maracanãzinho, Rio de Janeiro, Milton também celebrizou as composições “Maria, Minha Fé” e “Morro Velho”. Nesta edição do programa, também serão relembradas canções e interpretações de Luiz Gonzaga, Gildário de Assaré, Amelinha, Maria Alcina, Sérgio Ricardo e banda Rivera, entre outros. Produzido por Nazicélia Costa e apresentado por Haroldo Holanda, o Sons dos Festivais vai ao ar às quartas-feiras, às 20h, com reprise aos sábados, às 16h.

Vídeo relacionado

Terça, 26 Junho 2018 11:50

Sinatra e Amigos

O programa Sinatra e Amigos, desta segunda-feira (25/06), homenageia a cantora norte-americana Carly Simon, que faz aniversário na data de hoje. A artista também é autora de livros infantis e possui uma autobiografia publicada. A atração vai apresentar grandes sucessos da intérprete, como “Nobody Does It Better”, tema do filme "007 - O Espião Que Me Amava”, e "Coming Around Again". São destaques ainda, no programa, Frank Sinatra cantando ao vivo em Las Vegas e Elvis Presley interpretando “The Impossible Dream”. Produzido e apresentado pelo jornalista Renato Abreu, Sinatra e Amigos é transmitido pela FM Assembleia às segundas-feiras, a partir das 20h, com reprise aos sábados, às 18h.

Vídeo relacionado

Segunda, 25 Junho 2018 11:41

Brasilidade

O programa Brasilidade, deste domingo (24/06), presta homenagem ao cantor e compositor carioca Wilson Batista. Nascido em Campos, ainda menino, participou, tocando triângulo, da Lira de Apolo, banda organizada por seu tio, o maestro Ovídio Batista. Wilson Batista iniciou a carreira musical tocando triângulo ainda criança com o tio, o maestro Ovídio Batista. Ainda na cidade natal, frequentou o Instituto de Artes e Ofícios para aprender os ofícios de marcenaria. Na adolescência, ele mudou para a capital, onde foi destaque como sambista nos bairros boêmios. Na cidade maravilhosa, passou a frequentar os cabarés da Lapa e o bar Esquina do Pecado, na Praça Tiradentes, pontos de encontro de compositores, tornando-se amigo dos irmãos Meira. Nessa época, começou a trabalhar como eletricista e ajudante de contrarregra no Teatro Recreio. Com 16 anos, fez seu primeiro samba, "Na estrada da vida", lançado por Aracy Cortes, no Teatro Recreio, e gravado em 1933 por Luís Barbosa. Seu primeiro samba gravado foi "Por favor, vai embora", com Benedito Lacerda e Osvaldo Silva, em 1932. A partir de então, passou a fazer parte da Orquestra de Romeu Malagueta, como cantor de diferentes gêneros musicais e ritmista, tocando pandeiro. Wilson teve suas composições cantadas por Sílvio Caldas, Francisco Alves, Castro Barbosa e Murilo Caldas. Entre os principais sucessos estão as canções "O bonde São Januário", "Lenço no Pescoço", "Emília" e "Samba Rubro-Negro". Com produção de Fátima Abreu e Ronaldo César e apresentação de Narcélio Limaverde, o Brasilidade vai ao ar aos domingos, às 18h, com reprise nas terças-feiras, às 23h.
Quinta, 21 Junho 2018 12:17

Sons dos Festivais

O programa Sons dos Festivais, desta quarta-feira (20/06), mostra a trajetória do grupo musical e instrumental cearense Quinteto Agreste, que celebra 44 anos em 2018. O grupo nasceu de um trio de jovens convidado para tocar na Regata Dragão do Mar, em 1973. De trio, passaram a quinteto, com a chegada de Tarcísio Lima e Marcos Wirtzbik, mais tarde substituído por Assis Filho (já falecido). Nesses 44 anos de estrada, o Quinteto Agreste viveu muitos momentos marcantes, mudou a formação, gravou discos e se apresentou para as mais variadas plateias. O programa Sons dos Festivais traz ainda composições e interpretações de Simone, Luiz Gonzaga, Luizinho Calixto, banda Caixeiros-Viajantes, Décio Brandão, Tetê Espíndola, Sanderley Coelho, Estrela do Norte, Sandra Sá, entre outros. Com produção de Nazicélia Costa e apresentação de Haroldo Holanda, o programa Sons dos Festivais vai ao ar às quartas-feiras, às 20h, com reprise aos sábados, às 16h.

Vídeo relacionado

Portal do Servidor

Eleições 2018

Enquete

O que você acha da campanha Setembro Amarelo de prevenção ao suicídio?

Musicais - QR Code Friendly


 

  29ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500