Fortaleza, Domingo, 22 Julho 2018

Pesquisar

Processo Virtual


Legislação

Publicações

Eventos e Destaques


Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Musicais
Segunda, 02 Abril 2018 14:15

Gonzagando

O programa Gonzagando, da rádio FM Assembleia (96,7MHz) apresenta, nesta quinta-feira (28/03), às 20h, músicas do LP "Forró em Limoeiro", do grupo As Cangaceiras, formado por Sandy, Celinha e Áurea Lane. O disco é uma raridade. Gravado no ano de 1974, foi relançado dois anos depois, pela gravadora Itamaraty.O álbum reúne as composições "Sebastiana" (Rosil Cavalcanti), "Meu Pião" (Zé do Norte),  "É Proibido Cochilar" (Antônio Barros), "Assum Preto" (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira), "Sabiá" (Luiz Gonzaga / Zé Dantas), "Qui nem Jiló" (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira), "Forró em Limoeiro" (Edgar Ferreira), "O Rabo do Jumento" (Dilson Dória / Elino Julião), "Mulher Rendeira" (Tradicional), "O Amor e a Saudade" (Luiz Moreno / Margarida), "Eu Quero é Samba" (Luiz Moreno) e "O Burro da Fazenda" (Roberto Martins).O programa também destaca o trabalho do sanfoneiro e compositor pernambucano Reginaldo Alves Ferreira, o mestre Camarão, fundador da bandinha do Camarão, no ano de 1968, tida como a primeira banda de forró do País.Camarão dedicou a maior parte de sua vida à música, sobretudo, à sanfona. O interesse pelo instrumento surgiu dentro da própria família. O oito baixos do seu pai, que era deixado na cama quando ele ia para a roça, foi descoberto por Camarão. “Maria Bonita” foi tocada pelo menino aos sete anos de idade. Aos 20 anos, Camarão ingressou na Rádio Difusora de Caruaru, onde grandes músicos, como Sivuca e Hermeto Pascoal, também estiveram. Camarão recebeu grande influência de Luiz Gonzaga, inclusive na produção de seus primeiros discos.Gonzagando é produzido pela jornalista Fátima Abreu e apresentado por Gerardo Anésio. O programa vai ao ar às quintas-feiras, a partir das 20h, com reprise aos domingos, às 6h.

Vídeo relacionado

Segunda, 02 Abril 2018 11:54

Qual É o Tom do Ceará

O programa Qual é o Tom do Ceará?, recebe, neste sábado (31/03), a dupla de forró Sirano&Sirino. Os irmãos de Maranguape estão lançando o CD "Vaquejada Sempre".O novo trabalho da dupla é um resgate de vários sucessos. O disco traz 11 composições, entre elas  "Festa de Vaquejada", "Vaquejada Depende da Sorte" e "Balada do Vaqueiro".No programa, Sirano vai falar do apoio que recebeu do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, e de seus maiores sucessos, como "Só o Mi Disbuiado".Ao longo da carreira, Sirano compôs mais de 350 músicas. Algumas foram gravadas pelas bandas Mastruz com Leite ("Pneu Furado", "Cheiro de Perfume", "Só se Casar"); Mel com Terra ("Sala de Reunião"), Alta Tensão ("Mais e Muito Mais") e pelas cantoras Kátia de Troia ("Moreno") e Eliane ("Quero te dar Amor"), entre outros artistas. Produzido e apresentado por Ian Gomes, o programa Qual é o Tom do Ceará? vai ao ar aos sábados, a partir das 12h. A reprise é às quartas-feiras, às 23h.

Vídeo relacionado

Terça, 27 Março 2018 14:24

Sinatra e Amigos

O programa Sinatra e Amigos, da FM Assembleia (96,7 MHz), desta segunda-feira (26/03) relembra os sucessos de Frank Sinatra frutos da parceria com o empresário, produtor musical e arranjador vocal Quincy Jones, que completou 85 anos no último dia 13 de março.Entre os trabalhos de Sinatra produzidos por Jones está o disco do show ao vivo “Sinatra At The Sands”, com a Count Basie Orchestra, que traz canções como “Come Fly With Me” e “I’ve Got You Under My Skin”, que poderão ser ouvidas no programa. Outro disco produzido por Jones foi “L.A Is My Lady”, de 1984, que conta com o sucesso “The Best Of Everything”.Ainda da obra de Quincy Jones, o programa relembrará a canção “We Are The Word”, de Michael Jackson e Lionel Richie, gravado em 1985, com a participação de 45 grandes nomes da música norte-americana como parte do projeto "USA For Africa".No quadro “Duets”, serão tocadas as canções “The Girl Is Mine”, com Michael Jackson e Paul MCcartney, “My Endless Love”, com Diana Ross e Lionel Richie, e “My Way”, da parceria entre Frank Sinatra e Willie Nelson.O programa Sinatra e Amigos é transmitido pela FM Assembleia (96,7 MHz) às segundas-feiras, sempre às 20h, e reprisado aos sábados, às 18h, com produção e apresentação do jornalista Renato Abreu.

Vídeo relacionado

Segunda, 26 Março 2018 12:47

Brasilidade

O programa Brasilidade deste domingo (25/03), presta homenagem ao sanfoneiro cearense José Tomás Sobrinho, conhecido popularmente por Zé de Manu, um dos mais respeitados músicos do Ceará, que faleceu no dia 11 de março deste ano, aos 81 anos de idade.O sanfoneiro, que tinha esse apelido tirado de seu pai, que se chamava Manu, nasceu no sítio Varzinha, município de Cedro (CE), no dia 23 de outubro de 1939. A cidade de Cedro também é reduto de habilidosos músicos tocadores de sanfona, entre eles: Celso e os filhos Acrísio e Agildo, Chico de Teresa, Das Chagas, Abianto (César do Acordeon), Jaca (tio de Zé) e outros.O sanfoneiro Zé de Manu, ainda cedo, descobriu sua vocação pela música. Com seis anos de idade, o músico dividia o tempo entre a escola, o trabalho na roça e os instrumentos musicais.Ele chegou a utilizar o talo de milho e produzir um modelo de cavaquinho com cordinhas, o qual tocava. Sua mãe, observando a criatividade do filho, comprou um cavaquinho. Zé de Manu também passou a tocar banjo e violão.O interesse de Zé de Manu pela sanfona surgiu aos 14 anos, quando o tio Jaca comprou uma sanfona de 80 baixos e nunca mais deixou o acordeom. A sua maior referência na música, além do tio, foi o Rei do Baião, Luiz Gonzaga. As canções preferidas eram “Asa Branca” e “Assum Preto”, ambas de Luiz Gonzaga. Com o Rei do Baião, o sanfoneiro tocou por sete anos, participando das festas no Parque Asa Branca, no município de Exu (Pernambuco). Ele foi um dos artistas no meio musical que recebeu de presente do ídolo uma sanfona.Também ficou famoso por sua atuação artística se apresentando na casa de show Kukukaya, em Fortaleza, onde tocou o autêntico forró pé de serra por mais de 10 anos.O Brasilidade é produzido por Fátima Abreu e Ronaldo César, com apresentação de Narcélio Limaverde, vai ao ar aos domingos, às 18h, com reprise nas terças-feiras, às 23h.

Vídeo relacionado

Segunda, 26 Março 2018 12:45

Qual É o Tom do Ceará

Com influência do pop internacional, a cantora Isabel Gueixa vai apresentar seu trabalho neste sábado (24/03), no programa Qual é o Tom do Ceará? da rádio FM Assembleia (96,7 MHz).Com influências do R&B, funky, rap e jazz, suas composições refletem também marcantes referências de artistas como Lady Gaga, Beyoncé e Alicia Keys.A cantora e compositora começou na música aos onze anos, quando passou a integrar o coral da escola em que estudava. Mais tarde, integrou o coro cênico Vitrola Nova e o grupo de rap feminino As Cumades. Isabel Gueixa, que deve lançar seu primeiro álbum este ano, utiliza a música para transformar a vida das pessoas levando mensagem positiva, de empoderamento, respeito, liberdade, igualdade de gênero e luta contra a LGBTfobia. O programa Qual é o Tom do Ceará? é produzido e apresentado pelo jornalista e radialista Jânio Alves, e vai ao ar aos sábados, às 11h com reprise às quartas-feiras, às 23h.

Vídeo relacionado

Segunda, 26 Março 2018 12:45

Qual É o Tom do Ceará

Com influência do pop internacional, a cantora Isabel Gueixa vai apresentar seu trabalho neste sábado (24/03), no programa Qual é o Tom do Ceará? da rádio FM Assembleia (96,7 MHz).Com influências do R&B, funky, rap e jazz, suas composições refletem também marcantes referências de artistas como Lady Gaga, Beyoncé e Alicia Keys.A cantora e compositora começou na música aos onze anos, quando passou a integrar o coral da escola em que estudava. Mais tarde, integrou o coro cênico Vitrola Nova e o grupo de rap feminino As Cumades. Isabel Gueixa, que deve lançar seu primeiro álbum este ano, utiliza a música para transformar a vida das pessoas levando mensagem positiva, de empoderamento, respeito, liberdade, igualdade de gênero e luta contra a LGBTfobia. O programa Qual é o Tom do Ceará? é produzido e apresentado pelo jornalista e radialista Jânio Alves, e vai ao ar aos sábados, às 11h com reprise às quartas-feiras, às 23h.

Vídeo relacionado

Sexta, 23 Março 2018 15:33

Gonzagando

O programa Gonzagando da rádio FM Assembleia (96,7MHz) destaca, nesta quinta-feira (22/03), às 20h, o disco Pedra de Amolar, homenagem às produções do poeta e compositor paraibano Zé Marcolino, um dos parceiros e amigos de Luiz Gonzaga.Lançado em 2004, o disco faz parte do projeto Memória Música da Paraíba e foi idealizado e produzido pela também paraibana Socorro Lira, que canta a música que dá nome ao CD. Com material inédito, o álbum reúne diversos intérpretes cantando 15 canções de Zé Marcolino, além da voz do próprio autor, falando sobre alguns dos cantores.Entre os intérpretes, estão Dominguinhos, Flávio José, Maria da Paz, Vital Farias, Fátima Marcolino, Miguel Marcondes, Luis Homero, Irah Caldeira, Bira Marcolino, Marinês, Maciel Melo, Kátia Virginia, Gláucio Costa, Quinteto Violado, Santanna e o próprio Zé Marcolino.Gonzagando é produzido pela jornalista Fátima Abreu e apresentado por Gerardo Anésio. O programa vai ao ar às quintas-feiras, a partir das 20h, com reprise aos domingos, às 6h.

Vídeo relacionado

Terça, 20 Março 2018 12:39

Sinatra e Amigos

O programa Sinatra e Amigos apresenta, nesta segunda-feira (19/03), a íntegra do disco "Sinatra & Sextet: Live in Paris",  gravado ao vivo em Paris. Com abertura do francês Charles Aznavour, o show foi realizado em 1962.Além de clássicos como "Night and Day", "Nancy",  "In The Still of The Night"  e "I Love Paris", Sinatra canta outras 20 canções. O disco só foi lançado em 1994, pela gravadora Reprise Rocords. Uma edição anterior e não comercial desse concerto foi lançada no final de 1992, com duas músicas a menos.Foi o primeiro concerto de Sinatra em Paris e integrou o "World Tour for Children", turnê beneficente para ajudar crianças carentes da Europa e Ásia. Em dois meses, Sinatra passou por diversos países, iniciando em 15 de abril, na Cidade do México, e encerrando no dia 17 de junho, em Monte Carlo.O Sinatra e Amigos é transmitido todas as segundas-feiras, a partir das 20h, com reprise aos sábados, a partir das 18h.

Vídeo relacionado

Terça, 20 Março 2018 12:34

Brasilidade

O programa Brasilidade deste domingo (18/03) presta homenagem ao trombonista Ismerino Cardoso, integrante do Sexteto Espetacular.Segundo o dicionário Cravo Albin da MPB, o instrumentista carioca iniciou a carreira artística na década de 1920, tocando em bailes e orquestras na cidade do Rio de Janeiro.Entre os anos de 1930 e 1932, fez parte de um grupo de músicos que acompanhou as gravações dos cantores Francisco Alves e Mário Reis, numa série de disco que a dupla gravou naquele período.Além de participar das gravações, o grupo, formado por Ismerino Cardoso (trombone), Djalma Guimarães (trompete), Valfrido Silva (bateria), Luperce Miranda (cavaquinho e bandolim), Tute (violão) e Custódio Mesquita (piano), também acompanhava as apresentações de Francisco Alves e Mário Reis, no Teatro Lírico, no Rio de Janeiro.Em 1955, a gravadora Odeon lançou um LP com nove composições feitas pelos cantores Mário Reis e Francisco Alves, na década de 1930, com a participação do músico.Ismerino Cardoso, em toda a sua trajetória, foi reconhecido como um dos maiores trombonistas do País. Ele tocou em várias casas de espetáculos no Brasil e se apresentou ao lado de artistas internacionais, entre eles, o maestro Leopold Stokowski.O Brasilidade é produzido por Fátima Abreu e Ronaldo César, com apresentação de Narcélio Limaverde. Vai ao ar aos domingos, às 18h, com reprise nas terças-feiras, às 23h. 

Vídeo relacionado

Terça, 20 Março 2018 12:25

Abluesando

O programa Abluesando desta sexta-feira (16/03), recorda a trajetória do músico Charles Edward - Chuck Berry. Ele é um dos mais polêmicos nomes da música de todos os tempos. Berry foi um dos precursores do rock and roll e um de seus maiores representantes. Iniciou na música quando criança, em corais evangélicos, levado pelo pai, que era pastor protestante. Aos 14 anos, teve a oportunidade de tocar guitarra pela primeira vez, antes de ser preso, por furto.Anos depois, em 1946, voltou a tocar. Em 1952, atuou profissionalmente em uma banda de estilo blues-country. A partir daí, o músico passou a ser destaque, tanto que o nome do grupo foi mudado para Chuck Berry Combo. Sua carreira teve início em 1955, na Chess Records, em Chicago. Menos de um ano depois, já vendia mais discos que todo o staff da gravadora. Ele gravou, com Willie Dixon no piano, duas músicas: "Ida May", mais tarde regravada como “Maybellene”, e “Wee Wee Hours”. O músico teve mais de 30 sucessos que aparecerem no Top Ten e suas canções ganharam versões de centenas de músicos de blues, country e rock and roll.Entre seus clássicos estão "Roll Over Beethoven", "Sweet Little Sixteen", "Route 66", "Memphis, Tennessee", "Johnny B. Goode". Berry estabeleceu o rock como uma forma musical e uniu o mundo dos negros e brancos na música. Influenciou Elvis Presley, The Beatles, Rolling Stones e, mais recentemente, Eric Clapton, que declarou que, se não fosse Chuck Berry, ele jamais teria pegado em uma guitarra.O programa Abluesando é produzido e apresentado pelo jornalista Robério Lessa e vai ao ar todas as sextas-feiras, a partir das 20h.

Vídeo relacionado

Portal do Servidor

Eleições 2018

Enquete

Você acha que o período de férias de julho tem impacto positivo na economia cearense?

Musicais - QR Code Friendly


 

  29ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500