Fortaleza, Terça-feira, 25 Julho 2017

Pesquisar

Processo virtual


Projetos

Publicações

Eventos e Destaques

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Segunda, 20 Março 2017 12:48

Autoridades defendem conclusão da transposição do São Francisco

Avalie este item
(0 votos)
Audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca Audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca Foto: Bia Medeiros
A Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa discutiu, na manhã desta segunda-feira (20/03), a crise hídrica no Ceará. O presidente do Colegiado, deputado Carlos Matos (PSDB), pediu o apoio da bancada federal do Estado para pressionar pela conclusão das obras do eixo norte da transposição do rio São Francisco, por onde a água chegará ao Ceará.

Além disso, o parlamentar defendeu a inclusão, na área do semiárido brasileiro, de mais 30 municípios cearenses. Eles foram excluídos da classificação por não haver estudos indicando pluviosidade abaixo de 800 mm anuais.

“A Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme) já concluiu estudos sobre a pluviosidade dos últimos 30 anos em oito municípios que podem ser enquadrados imediatamente na zona do Semiárido, os qualificando a receber políticas públicas reservadas aos municípios com baixa pluviosidade”, informou Carlos Matos.

O deputado criticou ainda a continuidade do funcionamento da termelétrica do Pecém, mesmo quando a produção de energia do País está em bandeira verde. Para ele, o equipamento poderia sair de operação, o que economizaria 100 litros de água por segundo.  

Na avaliação do deputado federal Raimundo Matos (PSDB/CE), mesmo com a conclusão da transposição do rio São Francisco, a crise hídrica da região do semiárido persistirá. Por isso, ele defendeu a necessidade de avaliar a possibilidade de transposição do rio Tocantins. “Nós também precisamos assegurar a revitalização do São Francisco e pensar em um gerenciamento nacional dos recursos hídricos, como acontece na distribuição de energia elétrica”, comentou.

O deputado federal Paulo Henrique Lustosa (PP/CE) lembrou que a transposição do São Francisco foi idealizada apenas para assegurar o consumo humano e animal. Para ele, é importante também levar em conta abastecimento de água como fator de desenvolvimento econômico. “Nenhuma empresa irá se instalar no Pecém se não houver a garantia do abastecimento de água”, ressaltou.

Já o deputado federal Cabo Sabino (PR/CE) informou que em 2017 os deputados asseguram, por meio de emendas parlamentares, cerca de R$ 112 milhões para obras hídricas no Ceará. Ele antecipou que, até o início de abril, a licitação do restante da obra do eixo norte da transposição será concluída e as obras retomadas logo em seguida. 

O representante da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Wanderley Guimarães, assegurou que o abastecimento de Fortaleza está garantido até o final do ano mesmo que não sejam registradas novas precipitações. No entanto, ele alertou que as chuvas que aportam águas nos principais reservatórios do Estado – como  Castanhão, Orós e Banabuiú - ainda não são significativas. “Assim, é necessário que toda a população de Fortaleza se conscientize de que é preciso economizar água”, defendeu.

 Wanderley Guimarães destacou ainda que foram perfurados cerca de 100 poços profundos no Pecém para o abastecimento do complexo portuário, reduzindo o uso de água dos grandes reservatórios que abastecem a Região Metropolitana.

O cientista industrial, Fernando Ximenes fez uma explanação sobre o potencial do Aquífero Paleodunas, situado na Região Metropolitana de Fortaleza. Segundo ele o aquífero possui reservas renováveis podendo ser recarregado em apenas 8 dias para o abastecimento anual de Fortaleza.

Também participaram do debate os deputados Capitão Wagner (PR) e Mirian Sobreira (PDT); os deputados federais Chico Lopes (PCdoB), Odorico Monteiro (Pros), Gorete Pereira (PR), Zé Airton Cirilo (PT) e André Figueiredo (PDT); e os representantes da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Nizomar Falcão; da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Bessa Júnior; e do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (DNOCS), Ângelo Guerra. 

JS/GS

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 213 vezes Última modificação em Terça, 21 Março 2017 17:00

Portal do Servidor

Comitê / Frente

Enquete

Como estimular o turismo no Ceará?

Investindo em infraestrutura, como estradas, rodoviárias e aeroportos - 57.4%
Apostando na melhor divulgação do Estado no Brasil e exterior - 22.2%
Promovendo a visitação em lugares pouco explorados pelas grandes operadoras - 20.4%
A votação para esta enquete foi encerrada em: %24 %b %2017 - %10:%Jul


 

  29ª Legislatura - Assembléia Legislativa do Ceará                                                                                    Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500