Fortaleza, Quarta-feira, 23 Setembro 2020

Pesquisar

Alcance ENEM

Combate COVID-19

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

Seminário aborda criação de Plano Estadual de Proteção dos Manguezais - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Sexta, 24 Julho 2020 11:28

Seminário aborda criação de Plano Estadual de Proteção dos Manguezais

Avalie este item
(0 votos)
Seminário online sobre a Semana Estadual de Proteção aos Manguezais Seminário online sobre a Semana Estadual de Proteção aos Manguezais Foto: Paulo Rocha
A criação do Plano Estadual para Proteção e Recuperação dos Manguezais foi um dos encaminhamentos extraídos do seminário on-line sobre a Semana Estadual de Proteção aos Manguezais, realizado na manhã desta sexta-feira (24/07). O evento foi uma parceria entre a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento da Assembleia Legislativa, o Museu do Mangue e a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema).

A ideia do plano estadual partiu do secretário da Sema, Artur Bruno, que reforçou a importância do ecossistema e a forte presença ao longo de mais de 20 municípios da costa litorânea cearense. Observou que os mangues são protegidos pela Política Florestal do Ceará, o Código Florestal, aprovado em 2012, e pela lei que garante a preservação das áreas de proteção ambiental (APA), mas que apenas a lei não efetiva essa preservação, sendo necessário mais trabalho de monitoramento e fiscalização.

Artur Bruno informou ainda que o Governo do Estado tem feito o reflorestamento nas unidades de conservação. No Cocó, por exemplo, uma importante região de manguezal, 30 mil árvores foram plantadas em parceria com o grupo C. Rolim e o Museu do Mangue. “Precisamos, a partir daqui, definir estratégias mais elaboradas para garantir a sobrevivência desse ecossistema tão importante”, frisou.

O presidente da Comissão de Meio Ambiente da AL, deputado Acrísio Sena (PT), lembrou da necessidade de inclusão, nos planos diretores dos municípios que dispõem de áreas de mangue, de diretrizes políticas para proteção e conservação. O deputado informou que, na próxima semana, irá protocolar, por meio de requerimento, uma audiência pública para debater esses pontos, assim como para iniciar as discussões sobre o Plano Estadual de Proteção aos Manguezais.

O parlamentar acrescentou que são muitas as agressões sofridas pelos manguezais, seja pelo desenvolvimento urbano desordenado, pela falta de perspectiva da educação ambiental, pelo desmatamento, pelo aterramento, pela poluição hídrica, entre outros. “Esse conjunto de fatores ameaça de forma permanente os manguezais, daí a necessidade de trabalharmos medidas concretas de preservação desses sistemas”, disse.

A professora, Rafaela Camargo Maia, do Laboratório Ecomangue, reforçou a importância do bioma a partir de seus impactos ambientais, econômicos e até culturais. De acordo com ela, o manguezal é reconhecido cientificamente como um ecossistema que armazena cinco vezes mais carbono que qualquer outro tipo de floresta do mundo. “Isso faz com que a perda desses biomas se relacione de forma muito prejudicial com as mudanças climáticas que estão sendo observadas. Manter essas áreas se torna imprescindível para a conservação possível do clima do planeta”, alertou.

Ela considerou ainda a importância dos manguezais enquanto berçário de inúmeras espécies, inclusive aquelas de amplo interesse econômico, como os caranguejos. “A caranguejada típica das quintas-feiras, algo que mobiliza o comércio nas praias e restaurantes, é um patrimônio imaterial do Ceará. E os mangues que abastecem essa tradição estão correndo perigo”, disse. No Ceará, ela aponta a deposição de resíduos sólidos, o desmatamento e a realização de atividades aquícolas, como a carcinicultura, como principais fatores de degradação dos manguezais.

O debate foi mediado por Fabiana Pinho, integrante do Museu do Mangue, e contou ainda com explanações de Pedro Belga, do projeto Uçá, abordando o reflorestamento, e Rusty Sá Barreto, também do Museu do Mangue, que tratou da educação ambiental.
PE/AT
 

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 296 vezes Última modificação em Sexta, 24 Julho 2020 16:23

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos

Enquete

As mudanças de hábito promovidas pela pandemia da Covid-19 serão incorporadas pela sociedade?


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500