Fortaleza, Quinta-feira, 23 Setembro 2021

Pesquisar

Alcance ENEM

Alece 2030

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Login

Revitalização da cotonicultura cearense é tema de reunião técnica na AL - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Terça, 14 Setembro 2021 18:23

Revitalização da cotonicultura cearense é tema de reunião técnica na AL

Avalie este item
(0 votos)
Revitalização da cotonicultura cearense é tema de reunião técnica na AL fFoto: Divulgação AL
Nesta terça-feira (14/09), as comissões de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca e de Agropecuária realizaram uma reunião técnica com especialistas e representantes de entidades e municípios para discutir os desafios que envolvem a revitalização, ampliação e modernização da cotonicultura no Ceará.

O deputado Acrísio Sena (PT), que solicitou a reunião, ressaltou que hoje foi divulgado que o Ceará deve registrar recorde na colheita de algodão em 2021. O parlamentar lembrou que o Estado já foi um dos maiores produtores do Brasil, até que a praga do bicudo, nos anos 1980, inviabilizou muitas plantações e ainda hoje é motivo de preocupação. Porém, os produtores passaram a usar técnicas para se adaptar ao problema e retomar essa cultura.

Segundo o professor da Universidade Federal do Cariri Sebastião Cavalcante, há novas regras para a cotonicultura que estão gerando dúvidas para os produtores, como a questão do uso de sementes certificadas, manejo do bicudo, proibição da pulverização aérea e vazio sanitário, que estabelece um intervalo na cultura do algodão com retirada das plantas, e não somente sua poda.

O professor destacou que há produtores de outros estados que fazem a pulverização aérea adaptada com o uso de drone para pulverização contra bicudo e lagarta. Ele também defendeu a poda das plantas durante o vazio sanitário, quando essas forem provenientes de sementes certificadas.

O superintendente Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Ceará, Neto Holanda, afirmou que considera absurda a proibição da pulverização aérea e destacou que esse impedimento causa prejuízo a culturas como a banana e o algodão. Sobre o vazio sanitário, ele considera uma estratégia importante de defesa agropecuária para evitar que a praga do bicudo se espalhe, mas sugeriu que sejam criados mecanismos públicos para estimular os agricultores a usarem essa técnica.

O coordenador do Programa de Modernização do Algodão da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Euvaldo Bringel, ressaltou que o algodão é uma cultura que gera circulação de riqueza nas pequenas cidades. Ele também comentou sobre o vazio sanitário, que é realizado de outubro a dezembro, e defendeu a técnica como uma forma para evitar a necessidade de maiores quantidades de pulverizações e que essa estratégia foi determinada com base em estudos científicos. Bringel explicou ainda que o algodão do Ceará é um produto diferenciado, com características que garantem uma grande valorização. Por isso, há uma proposta de criação de selo de qualidade para o algodão do Ceará.

O representante da Embrapa Algodão de Barbalha, Fábio Aquino, também defendeu o vazio sanitário e informou que pesquisas mostram que não usar essa técnica é pior para a produtividade.

De acordo com o representante da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente de Apuiarés, Tobias Neto Uchoa Lessa, é necessário discutir o monitoramento da praga, aquisição de armadilhas, treinamento, equipe de campo e um calendário de controle.

A representante da Associação de Produção de Algodão do Estado do Ceará, Josefa Maria, contou sobre as experiências de produtores locais e sugeriu que sejam feitas pesquisas locais sobre a cotonicultura, pois muitos dados que os produtores têm disponíveis são referentes a outros estados.

Para o representante da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Daniel Aguiar, é importante que seja feita uma mobilização para incentivar os produtores a se cadastrarem na Adagri, para que sejam monitorados e orientados por especialistas.

Também acompanharam a reunião técnica representantes do Banco do Nordeste, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece) e Secretaria Regional de Recursos Hídricos.

JM/LF
 

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 122 vezes Última modificação em Terça, 14 Setembro 2021 19:05

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500