Fortaleza, Segunda-feira, 16 Mai 2022

Pesquisar

Comunicação

Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia
Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos

Programa Alcance

Alece 2030

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislativo

Projetos / Cursos

Publicações

Login

Escritor Lira Neto analisa momento político do País no Conexão Assembleia - QR Code Friendly
Segunda, 08 Novembro 2021 10:36

Escritor Lira Neto analisa momento político do País no Conexão Assembleia

Avalie este item
(0 votos)
Conexão Assembleia conversa com o jornalista Lira Neto Conexão Assembleia conversa com o jornalista Lira Neto Foto: Paulo Rocha
Ganhador do Prêmio Jabuti de Literatura com os livros "Padre Cícero: Poder, fé e guerra no sertão" (2009), a trilogia "Getúlio" (2012-14),"Uma história do samba: As origens" (2017) e "Castello: A marcha para a ditadura", reeditado em 2019, o escritor e jornalista cearense Lira Neto foi o entrevistado do Conexão Assembleia, programa multiplataforma da rádio FM Assembleia (96,7MHz), nesta segunda-feira (08/11).

Atualmente morando em Portugal, onde realiza doutorado em História, o escritor relatou que vem acompanhando o contexto político brasileiro com perplexidade. "A história não se repete, a não ser como farsa. E algumas farsas são muito recorrentes na história nacional, infelizmente. Quando um moralismo seletivo se insurge, unido ao discurso da morte da política e embrulhado a um falso patriotismo e à fantasmagoria do perigo vermelho, sempre acaba em tragédia", observou.

Segundo Lira Neto, foi assim na época de Getúlio Vargas, no movimento que produziu a ditadura em 1964 e agora, no passado mais recente. "Parece que não aprendemos com as lições da história", reflete Lira Neto, um dos mais renomados biógrafos da literatura brasileira. O autor já mergulhou nas histórias de vida de personagens brasileiros populares, como Getúlio Vargas, Padre Cícero, José de Alencar, Rodolfo Teófilo e Maysa, e é celebrado por realizar, em suas narrativas, apurações detalhadas e reconstituições históricas.

Na entrevista, o jornalista detalhou a trajetória profissional anterior ao seu sucesso no mercado editorial. "O jornalismo cotidiano satisfazia algumas das minhas ansiedades, mas não outras. Eu queria mais tempo, fugir dessa pressão do jornalista. Nós temos pouco tempo para apurar uma matéria e pouquíssimo espaço para escrevê-la. Então resolvi ser um repórter do passado, da história, e escrever livros históricos. Foi quando um dia eu criei coragem e pedi demissão do jornal (O Povo)", relembrou.

O escritor explicou como é seu processo de escolha de temas e criação de biografias. "O que torna um biografado que desperte o meu interesse é alguém que tenha dentro da sua trajetória contradições, altos e baixos. Como diz Fernando Pessoa, uma vida em linha reta não dá uma boa biografia. Ele precisa ter experimentado vários percalços, precisa ser uma pessoa contraditória, que seja amada e odiada quase na mesma intensidade. É esse tipo de personagem que me mobiliza", esclareceu.

Lira Neto comparou ainda a escrita e pesquisa acadêmica com a literatura, afirmando que ambas precisam de um vocabulário alto, porém claro. "No caso da escrita acadêmica, ela precisa ser palatável para quem está fora dos muros da universidade, mas que não pareça simplista para a comunidade acadêmica. Já a biografia se situa numa zona de transição entre jornalismo, história e literatura. Não significa dizer que ela invente ou use da imaginação desenfreada, mas usa de recursos literários, como a manipulação de tempo e espaço, como o suspense. Ao mesmo tempo, precisa ter a clareza da linguagem jornalística", exemplificou.

A obra “Arrancados da Terra” é o mais recente lançamento de Lira Neto, que se volta para o tema das migrações. Um dos destaques é o breve período de dominação holandesa no Nordeste, que atraiu para o Brasil judeus que fugiam da Inquisição. No rastro das pesquisas, o cearense chegou ao mais antigo cemitério de Nova York, onde estão os corpos de judeus que depois também fugiram do Brasil.

Conexão Assembleia é um programa multiplataforma da rádio FM Assembleia (96,7MHz), transmitido nas redes sociais da Assembleia Legislativa do Ceará, no YouTube e no Facebook, às segundas-feiras, a partir das 8h. A produção é veiculada também na TV Assembleia, nas segundas-feiras, às 20h30, e fica disponível no podcast da FM Assembleia. Basta procurar o canal nas principais plataformas de áudio, como Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts.

Apresentado pela jornalista Kézya Diniz, o Conexão Assembleia conta com produção de Layanna Vasconcelos e Tarciana Campos; direção de vídeo de Rodrigo Lima; coordenação de programação e áudio, Ronaldo César e supervisão do gerente geral da Rádio FM Assembleia, Rafael Luis Azevedo.

LA/LF

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 597 vezes Última modificação em Segunda, 08 Novembro 2021 15:44

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500