Principal > Imprensa > Notícias
  Icone EnviarENVIAR PARA UM AMIGO Icone ImpressoraIMPRIMIR Icone VoltarVOLTAR
Notícias Diminuir Fonte Aumentar Fonte
Linha

O evento aconteceu no Plenário da AL
13.12.2010


O Instituto de Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento do Estado do Ceará (Inesp) encerrou nesta segunda-feira (13/12), no Plenário 13 de Maio, as atividades do projeto Construção Compartilhada da Cidadania deste ano. A iniciativa também marcou o pré-lançamento do CD de rap de 10 escolas que participaram do projeto Ronda Cultural. O evento foi aberto pelo presidente da Casa, deputado Domingos Filho (PMDB).

Idealizador do projeto que iniciou em 2007, Domingos Filho disse estar satisfeito e emocionado com o resultado da iniciativa. Segundo ele, o Poder Legislativo tem “obrigação” de abrir suas portas para a sociedade, as escolas e a juventude, para mostrar o funcionamento da Casa e as atribuições dos parlamentares.

Na sua avaliação, a presença dos deputados nas escolas, com o objetivo de discutir e tirar dúvidas dos alunos, consagra a função representativa do parlamentar. “É uma oportunidade de debater e criticar aquilo que mereça critica. Para isso, é fundamental que a Assembleia se abra para receber de vocês essas contribuições”, ressaltou.

O deputado Fernando Hugo (PSDB) reforçou a iniciativa da Assembleia de incluir a população nas atividades da Casa e enalteceu o empenho da equipe do Inesp, que tem dado grande contribuição no sentido de esclarecer a população, sobretudo a juventude, sobre “o que as constituições Estadual e Federal oferecem de garantia e bem viver ao cidadão”. O deputado Sérgio Aguiar (PSB) destacou o apoio das instituições que apoiaram o Inesp no projeto, mostrando que “a Assembleia é realmente pelo povo e para o povo”.

O presidente do Inesp, Antônio Nóbrega, explicou que, na essência, o projeto Construção Compartilhada da Cidadania tem o propósito de ser uma ferramenta de auxílio na compreensão acerca do papel dos políticos e da política, que ele definiu “como uma atividade nobre que pauta, norteia e delimita, pelas leis elaboradas, o nosso comportamento”. Ele defendeu a necessidade de haver um monitoramento por parte da sociedade “a fim de expurgar aqueles que não nos honram com sua atuação”.

Nos últimos quatro anos participaram do projeto 201 instituições, sendo 160 escolas, 17 comunidades e 24 universidades, envolvendo 15 mil participantes. Sete escolas compareceram ao encerramento. Apresentaram-se os grupos musicais “Mais Educação”, da EEFM João Nogueira Jucá e o grupo de rap do projeto Ronda Cultural da Polícia Militar, sob a coordenação do Major Plauto Roberto Lima, que agradeceu o “apoio irrestrito” da Assembleia ao projeto Ronda Cultural.

Ele afirmou que a presença da juventude nos projetos de segurança é de fundamental importância na luta contra a insegurança e a violência no Estado. “Só falando a linguagem da juventude podemos prover projetos retratando a realidade”.

O evento contou ainda com as participações da equipe de teatro “Clube da Recreação” da OAB, com a peça “O Jovem Cidadão” e do cordelista e compositor Tião Simpatia, com um trabalho sobre a Lei Maria da Penha. Também compareceram a presidente da Comissão “OAB vai à Escola”, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE), Fernanda Cláudia Silva e a diretora Eridan Ferreira Leite, da Escola Antônio Martins Filho.
LS/CG