Especial Hidrogênio Verde

O especial Hidrogênio Verde é produção da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará que reúne uma série de conteúdos multimídia desenvolvidos para trazer informação de forma acessível, numa linguagem conceitual simples, mas concisa, e com a voz de especialistas e autoridades no assunto. Longe de esgotar a temática, os materiais vêm com a proposta de dar um pontapé inicial nos estudos sobre hidrogênio verde e abrir espaço para discussões.

Confira, a seguir, as produções: 

 

Especial H2V #1 | Assembleia Legislativa realiza debate sobre produção de hidrogênio verde no Ceará

22/05/2023

Desde 2021, o Ceará trabalha na implantação de um Hub para produção e comercialização de hidrogênio verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). O objetivo é transformar o território cearense em um grande fornecedor global desse tipo de combustível, gerando emprego, renda e contribuindo diretamente para a descarbonização do planeta. Isso porque, para ser considerado verde, as fontes de energia para a produção do hidrogênio devem ser de origem limpa e renovável – como a solar e a eólica. 

Em janeiro, foi produzida a primeira molécula de H2V no Pecém. Apesar de ser um importante passo, há ainda gargalos a serem resolvidos, e um dos principais é a necessidade de regulamentar a produção, exploração e comercialização do hidrogênio como combustível. 

Acesse aqui.

Especial H2V | Cartilha Hidrogênio verde: a energia do futuro

23/05/2023

A Agência de Notícias da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará lançou a cartilha Hidrogênio verde: a energia do futuro. A publicação apresenta uma introdução ao tema do hidrogênio verde no Ceará, com a contextualização do panorama mundial de mudanças climáticas e busca por fontes alternativas e renováveis de energia, o que é o hidrogênio verde e onde ele entra nesse cenário, qual seu potencial e o que significam as cores do hidrogênio. 

Acesse aqui.

 

Especial H2V #2 | Ceará deve exportar um milhão de toneladas de hidrogênio verde para a Europa até 2030

24/05/2023

O Hub de Hidrogênio Verde (H2V) que está sendo implementado no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) tem a meta de exportar até um milhão de toneladas desse combustível para a Europa em um futuro próximo ‒ o ano de 2030.  

Para garantir essa produção, será preciso antes investir em energias renováveis e na infraestrutura do CIPP. Isso porque é consumida energia elétrica no processo de produção do hidrogênio e, para ele ser considerado verde, é preciso que as fontes utilizadas sejam limpas e renováveis ‒ como a eólica e a solar.

Recentemente, o Governo do Ceará e os Países Baixos assinaram acordos para a criação tanto do Corredor de Hidrogênio Verde (Green Hydrogen Corridor) entre o Porto do Pecém e o Porto de Roterdã, como da Parceria de Portos Verdes (Green Ports Partnership) entre o Ceará e os Países Baixos. 

Acesse aqui.

Especial H2V #3 | Caminhos para a construção da sustentabilidade social na produção do H2V

25/05/2023

Pesquisadores, parlamentares e a comunidade têm estudado os possíveis impactos positivos e negativos que o hidrogênio verde pode trazer para o estado do Ceará, além dos desafios que precisam ser superados para que a produção se torne uma realidade. 

Essas iniciativas são importantes para entender qual a realidade em que essa nova cadeia produtiva vai se inserir, compreendendo, entre outras coisas, qual o potencial econômico já existente nos territórios em que as novas indústrias serão instaladas, como também mapeando quais as comunidades que habitam esses espaços e como elas serão afetadas. Além disso, é a partir desses estudos que se pode gerar dados e pensar soluções, mas, sobretudo, permitir que a população cearense seja vista em sua totalidade e considerada em todo o processo. 

Acesse aqui. 

O Especial Hidrogênio Verde antecedeu a sessão especial “Hidrogênio verde: inovação e energia limpa no Ceará”, sobre as potencialidades do desenvolvimento do hidrogênio verde (H2V) no Estado, além do protagonismo do Nordeste na produção de energias limpas, bem como a importância dessa inovação para o desenvolvimento econômico, social e industrial. O evento ocorreu no Plenário 13 de Maio, da Assembleia Legislativa. 

Confira a seguir cobertura do evento realizada pela Agência de Notícias.

#1 | Evandro Leitão destaca importância da produção do H2V e o protagonismo do Ceará

26/05/2053

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Evandro Leitão (PDT), abriu a sessão especial para debater “Hidrogênio Verde: inovação e energia limpa no Ceará.” “Uma pauta extremamente importante para o futuro do nosso Estado que irá impactar a vida dos cidadãos cearenses na economia e no meio ambiente”, assinalou.

O parlamentar ressaltou que a Alece foi eleita uma das casas legislativas mais transparentes do Brasil, sempre buscando debater pautas que parecem distantes, mas que influenciam as relações econômicas e sociais do Estado, como o hidrogênio verde e o potencial do Ceará na produção da fonte de energia. 

Acesse aqui.

#2 | Representantes do setor industrial e financeiro defendem produção de hidrogênio verde no Ceará

26/05/2023

O presidente da Federação das Industrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, apontou as vantagens e impactos positivos que a produção do hidrogênio verde (H2V) possibilitará ao estado do Ceará, durante a sessão especial realizada na Assembleia Legislativa, para debater o tema.

Para ele, o Ceará sai na frente de outros estados não só pelos seus potenciais naturais, mas por já discutir o assunto no âmbito da federação há mais de dois anos.

“É importante que todos compreendam o impacto dessa nova matriz energética para o mundo e que o Ceará é o melhor lugar do planeta para sua produção, pelo seu potencial em gerar energia eólica e solar”, pontuou. 

Acesse aqui.

#3 | Políticos avaliam impactos do hidrogênio verde na superação da desigualdade regional

26/05/2023

Durante o debate “Hidrogênio verde: inovação e energia limpa no Ceará”, o senador Cid Gomes (PDT/CE), que preside a Comissão de Hidrogênio Verde no Senado Federal, salientou que o estado do Ceará tem o dever de pensar em alternativas que busquem superar os desafios e desigualdades encontrados na região.

Segundo o senador, a população cearense representa 4,4% da população brasileira, mas o Produto Interno Bruno (PIB) do Estado responde por apenas 2,1% do PIB nacional. “O cearense médio vive com metade da renda de um brasileiro médio. Dessa forma, é o nosso dever encontrar alternativas para buscar um equilíbrio e tornar o Ceará um estado mais justo, e a iniciativa da Assembleia de promover esse debate contribui para essa busca”, avaliou.

Acesse aqui.