Notícias

Alece apresenta produto de Acordo de Cooperação ao ministro dos Direitos Humanos

Por Márcia Feitosa
03/07/2024 19:10 | Atualizado há 2 semanas

Compartilhe esta notícia:

O documento foi apresentado em reunião do Comitê de Prevenção e Combate à Violência com o ministro Silvio Almeida - Foto: Dário Gabriel

A Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alece), por meio do Comitê de Prevenção e Combate à Violência (CPCV), apresentou ao ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida, o primeiro resultado do Acordo de Cooperação Técnica celebrado entre as instituições. O documento intitulado ‘Análise da dinâmica letal no Brasil e seleção de municípios prioritários’ foi apresentado, nesta quarta-feira (03/07), no Anexo II da Alece. 

O ministro elogiou a minuta e disse que será entregue à Presidência da República, como forma de contribuir para a política de redução de homicídios de jovens, especialmente nas periferias do Brasil.  “A partir deste trabalho vamos poder avançar em uma política estruturada do tema. Vamos afinar as parcerias institucionais para consolidar as ações e, em seguida, apresentar ao presidente Lula”, disse Silvio Almeida. 

O coordenador  técnico do Comitê da Alece, Thiago de Holanda, afirmou que este é o primeiro de alguns produtos que serão produzidos dentro do Acordo de Cooperação Técnica. Segundo ele, a lista com os 117 municípios prioritários, em todo o Brasil, foi pensada levando em conta taxas que vão além da demografia ou do quantitativo de homicídios.  

“Nós fizemos um levantamento e conseguimos chegar a estes municípios levando em conta vários fatores, inclusive a regionalidade. O objetivo é transferir essa tecnologia social da prevenção de homicídios na adolescência e também fortalecer a rede de proteção às vítimas de violência. Não necessariamente os municípios que tenham as maiores taxas de homicídios na adolescência estão na lista, mas aqueles que possam influenciar a incidência de homicídios”, disse Thiago de Holanda. 

O deputado Renato Roseno (Psol), presidente do CPCV, acrescentou que as recomendações entregues a ministro, em forma de minuta, serão apresentadas à sociedade por meio de fóruns para debater o tema.  “Vamos fazer grandes encontros sobre o tema da letalidade de jovens nas periferias urbanas. Há uma representação vergonhosa da morte de jovens negros, que comprova o racismo estrutural. Para nós, é muito importante esse estudo e essa contribuição do Ceará para a consolidação de uma política pública de redução de homicídios”, pontuou. 

O Ceará tem sete cidades na lista das mais urgentes, para a implantação das medidas de redução de mortes violentas: Fortaleza, Aracati, Sobral, Canindé, Quixadá, Juazeiro do Norte e Iguatu. Para atingir os objetivos estabelecidos no Acordo, foram elaboradas etapas para levantamento e processamento das informações e serão ofertados cursos de formação e eventos serão realizados.

Edição: Clara Guimarães

 

Veja também